SOBRE MIM E O CONDADO

Minha relação com o tabaco começou bem cedo, não me recordo de quantos anos tinha, mas, desde cedo, reparava nas folhas de fumo, não raro em canteiros descuidados, nas estâncias do interior onde eu passava minhas férias.

O primeiro ponto a me convidar à atenção no tabaco foram as engenhosas possibilidades para a sua apreciação. Passei por todas as etapas do bom apreciador: do fumo enrolado, o charuto, até pelo cigarro. Embora provasse muitos blends de folhas picotadas e enroladas no charuto, meu fascínio pelo espírito do tabaco repousava no seu uso mais sagrado: o cachimbo. Com todo seu amparo ritualístico e instrumental, cuja composição completa exige o cerimonial quase mesmo especializado e cada vez mais aperfeiçoado, como das antigas cerimônias do chá, entre os orientais.

É certo que de apreciador das misturas de cachimbo, a criador dessas misturas, desafios marcam minha jornada; e estimo que nunca será diferente. Ter de explorar no cerne um mundo antes incógnito, foi o óbvio início. Entender toda dinâmica comercial, sazonal, logística e metódica – ainda não é fácil. A busca pela matéria prima de excelência; a firma com os melhores fornecedores; a ferramentaria adequada e as receitas de processamento, muitas vezes bem cansativas, são lidas constantes para um bom resultado.

A inegociável sentença de muitas tentativas em erro, para poucas de acerto, é o que mais me instiga à superação – e ela vem. Passados três anos dedicados às misturas, sinto-me preparado a começar minha carreira, pondo à disposição o que tenho produzido.

Da sugestão de um confrade, aceitei à marca o nome de Condado. Isto, tanto em homenagem ao genial e carismático J.R.R. Tolkien – famoso apreciador do cachimbo –, quanto ao meu apreço pelas histórias de cavalaria que o nome evoca.

A Missão é agradar meus Confrades e, sem cessar, continuar minha Evolução.

Desejo inesquecíveis baforadas,

Lucas Novaes.